Desculpe. Sua pesquisa não encontrou nenhum número de peça Crucial ativo ou ID de configuração.

Noções básicas de RAID

As configurações RAID (Redundant Array of Independent Disks) usam várias SSDs ou discos rígidos. Elas podem duplicar os dados para que nenhum arquivo seja perdido no caso de falha da unidade (chamada de "espelhamento"). Elas também podem fornecer uma operação paralela para que as operações de leitura e gravação sejam divididas entre os dispositivos a fim de melhorar o desempenho, já que vários discos podem ser usados de uma só vez para uma determinada operação (chamada de "partição"). Essas matrizes funcionam melhor quando todas as unidades conectadas são idênticas, mas diferentes discos podem ser usados em muitos ambientes RAID. As diferenças de desempenho e capacidade entre as unidades conectadas reduzem o desempenho e a capacidade utilizável da peça de menor desempenho em cada disco na matriz.


As descrições de RAID incluem um número abreviado para o tipo de operação cuja coleção de discos está configurada, com uma matriz particionada sendo comumente referida como RAID 0 e uma matriz espelhada como RAID 1. Existem tipos adicionais quando uma combinação de partição e espelhamento é usada, como RAID 10, RAID 5 e RAID 6. As diferenças entre essas matrizes estão na quantidade de discos necessários e como eles são usados para intensificar o desempenho, permitindo que uma ou mais unidades sejam perdidas antes que ocorra a perda de dados.


O RAID pode ser baseado em hardware ou software. O RAID de hardware usa um driver RAID dedicado para gerenciar as unidades instaladas e o RAID de software usa o software dentro do sistema operacional instalado para fazer o mesmo. A configuração e o uso do RAID de software geralmente são mais baratas, mas investir em hardware dedicado para configurar o RAID reduz a utilização da unidade de processamento central e de outros recursos do sistema para gerenciar a matriz. As etapas para configurar o RAID variam dependendo do tipo exato que está sendo configurado, mas geralmente uma matriz é configurada em um utilitário de firmware do adaptador RAID ou no UEFI ou sistema de entrada/saída básico do sistema. Então, um sistema operacional considera a matriz como destino para particionar e começar a gravar dados, seja instalando um sistema operacional no RAID ou usando-o como volume secundário. Consulte o suporte para a placa-mãe, sistema operacional ou adaptador RAID dedicado a fim de obter instruções detalhadas sobre configuração e gerenciamento.


Em termos de uso diário, o RAID funciona de forma semelhante a um único disco, mas as ferramentas de diagnóstico leem dados de uma configuração de RAID de forma diferente de uma única SSD ou disco rígido. Por exemplo, a Crucial Storage Executive não é totalmente compatível com alguns drivers e configurações de RAID. Funções específicas como relatórios SMART ou atualizações de firmware podem não operar nesses ambientes sem suporte, exigindo que o RAID seja temporariamente desmontado para atualizações ou solução de problemas de unidades individuais. Além disso, embora os sistemas operacionais modernos e os drivers RAID permitam que os comandos trim sejam executados nas SSDs em RAID, os sistemas operacionais e drivers herdados podem não oferecer suporte apropriado a esses comandos, o que significa que funções como Coleta de lixo se tornam mais importantes para manter melhor desempenho das SSDs conectadas.

©2020 Micron Technology, Inc. Todos os direitos reservados. Informações, especificações e/ou produtos estão sujeitos a alterações sem aviso prévio. A Crucial e a Micron Technology, Inc. não se responsabilizam por omissões, erros tipográficos ou fotográficos. Micron, o logotipo da Micron, Crucial e o logotipo da Crucial são marcas comerciais ou registradas da Micron Technology, Inc. Todas as demais marcas comerciais e marcas de serviço pertencem aos seus respectivos proprietários.