Desculpe. Sua pesquisa não encontrou nenhum número de peça Crucial ativo ou ID de configuração.

As vantagens dos notebooks são óbvias: eles são leves, portáteis e quase tão eficientes quanto os desktops. Mas qual é a grande desvantagem? Espaço. Em geral, a capacidade de armazenamento dos SSDs internos de notebook varia entre 16 GB e 512 GB, o que não é muito, principalmente quando se trabalha com arquivos grandes.

Uma SSD externa é uma forma simples e fácil de adicionar mais armazenamento ao seu notebook sem precisar trocar o disco interno ou apagar dados importantes.

Aumentar a capacidade de armazenamento traz muitos benefícios, tanto para usuários eventuais quanto para gamers e profissionais da área de criação. Veja alguns fatores para levar em conta na hora de escolher uma SSD externa para o seu notebook:

Durabilidade

Antes de escolher uma SSD externa, pense em como você vai usá-la. Você pretende transferir arquivos e guardá-la na gaveta depois? Ou você a levará em viagens, no avião, no metrô ou no bolso ao andar pela cidade?

Em geral, as SSDs são mais indicadas para lidar com esses cenários porque, diferentemente dos HDDs (discos rígidos), as SSDs não têm nenhuma peça móvel. Um HDD trabalha com um disco giratório que tem uma grande chance de falhar se submetido às condições erradas. E os SSDs não são só mais seguros, como também têm maior controle de temperatura, mais velocidade e menos ruído.

No entanto, isso não significa que todas as SSDs têm a mesma resistência. Se você quer levar a SSD externa por aí, escolha uma que tenha os componentes internos e externos próprios para os possíveis riscos que esse cenário oferece.

As SSDs portáteis Crucial X6 e X8 foram rigorosamente testadas contra impactos, vibrações, raios-x, ímãs e até uma queda de 1,8 m. A carcaça de alumínio anodizado suporta condições mais pesadas, e a memória flash interna passa por um processo de fabricação de última geração que usa 800 operações para adicionar proteção contra contaminação.

Capacidade

Obviamente, você quer uma SSD externa para ter mais armazenamento. Mas de quanto armazenamento a mais você realmente vai precisar? Você pretende armazenar algumas fotos da família e só? Ou quer baixar 500 horas de filme para ter quase que uma locadora de filmes só sua?

Os profissionais da área de criação, como fotógrafos e videomakers, precisam de muito mais espaço do que os usuários normais. Você pode armazenar projetos fotográficos inteiros na mesma unidade para ter acesso mais fácil e um processo de edição mais rápido. Também é possível agrupar projetos de uma única unidade sem precisar copiar os dados. Imagine o trabalho que daria copiar dados de várias unidades e juntar os arquivos no notebook?

A Crucial X8 conta com modelos de 500 GB, 1TB e 2TB de armazenamento, oferecendo bastante espaço para consumidores casuais e usuários que trabalham com grande quantidade de dados. A Crucial X6 conta com modelos de 1TB e 2TB, cabe na palma da mão e pesa menos do que as chaves do seu carro.

SSD portátil Crucial X8

Velocidade

A velocidade é outro fator importante para levar em conta antes de escolher a SSD externa. Uma unidade mais lenta resulta em horas de produtividade perdida, sem falar da frustração que vai se acumulando.

O Crucial X8 tem velocidade de leitura de até 1.050 MB/s, o que é 1,8x mais rápido que a maioria dos SSDs portáteis e até 7,5x mais veloz que um disco rígido comum.

A Crucial X6 tem até 540 MB/s de velocidade de leitura, sendo 3,8x1mais rápida do que a maioria dos discos rígidos. As SSDs portáteis Crucial permitem que você carregue e transfira arquivos com rapidez para facilitar o seu dia.

Um ponto importante a considerar também é que sua conexão tem um papel-chave na sua velocidade de transferência de dados para salvar no disco ou retirar arquivos dele. A interface USB 3.1 primeira geração, por exemplo, limita a transferência a 300 MB/s a 400 MB/s. Já a segunda geração consegue transferir a até 700 MB/s a 800 MB/s. A origem e o destino dos dados, se for um HDD lento, por exemplo, também afetam o desempenho da SSD externa.

Compatibilidade

A Crucial X6 e a X8 funcionam com computadores Mac e Windows, Xbox One, PS4 e iPad Pro. As SSDs portáteis Crucial têm uma interface USB-C 3.2 de segunda geração, além de adaptadores para conexões USB-C e USB-A.

Se você for usar a SSD externa em vários dispositivos, precisará pensar em compatibilidade. Você tem aparelhos Mac e Windows? Depois, você precisa verificar se o SSD escolhido consegue administrar os dois sistemas operacionais. Isso porque o Windows usa o formato NTFS (New Technology File System), já o macOS usa o APFS (Apple File System) para formatar a unidade.

Felizmente, é possível criar partições na unidade para trabalhar com os dois sistemas operacionais, desde que a SSD externa seja compatível. Se você pretende usar grandes quantidades de dados, opte por uma unidade de 2 TB. Assim, você consegue separar 50% da unidade para cada sistema operacional.

Segurança

Segurança é um recurso extremamente importante para uma SSD externa. Sem uma tecnologia de criptografia para proteger a unidade contra ataques, seus dados podem ser roubados e corrompidos por qualquer pessoa que se conectar ao disco.

A Crucial X6 e a X8 trabalham com o Windows Bitlocker To Go e com o FileVault da Apple para fazer a criptografia do disco e garantir a segurança dos seus dados. Você ainda pode usar uma proteção de ponta adicional oferecida por serviços como Symantec e McAfee.

Além da criptografia, o ideal é sincronizar a SSD externa com serviços de backup de arquivos. A X6 e a X8 se conectam ao Windows Backup e ao macOS Time Machine paracriar um backup dos dados do seu notebookde forma automática e simples. 

1. Velocidade em MB/s avaliada como o desempenho sequencial máximo do dispositivo conforme medição da Crucial em um computador desktop de alta performance com Crystal Disk Mark (versão 6.0.2 para x64).  O desempenho pode variar. Dados de velocidade comparativa auferidos como o desempenho sequencial máximo de SSDs portáteis em posição semelhante, HDDs portáteis relevantes e pendrives USB mais conhecidos de fabricantes verticalmente integrados que vendem sob suas próprias marcas desde junho de 2019. 

Artigos relacionados