Filter by:

A diferença entre Velocidade de RAM e Latência CAS

O desempenho da memória (DRAM) refere-se à relação entre velocidade e latência. Enquanto as duas estão estritamente relacionadas, elas não estão conectadas da forma que você pensa. Aqui está um exemplo de como a velocidade e a latência estão relacionadas ao nível técnico e como você pode usar essa informação para otimizar o desempenho da memória.

Se você está interessado em saber a quantidade de memória que o seu computador deve ter, leia aqui.

A percepção e a verdade sobre latência

Percepção

• Muitos usuários acreditam que a latência CAS é um indicador preciso do desempenho de latência mundial real
• Muitos usuários também que parte da velocidade é anulada porque a latência CAS aumenta com os ganhos de velocidade

Verdade

• Os engenheiros de semicondutores sabem que as latências CAS são um indicador de desempenho impreciso

• A latência é melhor medida em nanossegundos
• Quando as velocidades aumentam, as latências diminuem ou permanecem praticamente iguais, o que significa que as velocidades mais rápidas oferecem melhor desempenho

A diferença entre a percepção de latência e a verdade sobre latência resume-se à forma como a latência é definida e medida.

Dois carros de corrida representam a velocidade da memória e a latência CAS

O paradoxo da latência

A latência é frequentemente mal compreendida devido a folhetos de produto e nas comparações entre especificações, ela é indicada em Latência CAS (CL) que é apenas metade da equação da latência. Como as classificações CL indicam apenas o número total de ciclos de clock, elas não se referem à duração de cada ciclo de clock e não devem ser extrapoladas como o único indicador do desempenho da latência.

Ao verificar uma latência de um módulo em termos de nanossegundos, você pode determinar se um módulo é, de fato, mais responsivo do que outro. Para calcular a latência de um módulo, multiplique a duração do ciclo de clock pelo número total de ciclos de clock. Esses números serão observados na documentação de engenharia oficial em uma planilha de dados do módulo. Aqui está um exemplo de como são esses cálculos.

Tecnologia

Velocidade do módulo (MT/s)

Tempo do ciclo de clock (ns)

Latência CAS

Latência (ns)

SDR

100

8,00

3

24,00

SDR

133

7,50

3

22,50

DDR

335

6,00

2,5

15,00

DDR

400

5,00

3

15,00

DDR2

667

3,00

5

15,00

DDR2

800

2,50

6

15,00

DDR3

1333

1,50

9

13,50

DDR3

1600

1,25

11

13,75

DDR4

1866

1,07

13

13,93

DDR4

2133

0,94

15

14,06

DDR4

2400

0,83

17

14,17

DDR4

2666

0,75

18

13,50

O que é latência e a equação de latência?

Ao nível básico, a latência refere-se ao atraso de tempo entre o momento em que um comando é inserido e executado. Latência é o intervalo entre dois eventos. Quando o controlador de memória diz para a memória para acessar um local específico, os dados passar por uma série de ciclos de clock no Strobe de Endereço de Coluna (Column Address Strobe, CAS) para obter o local desejado e concluir o comando. Com isso em mente, há duas variáveis que determinam a latência de um módulo:

• O número total de ciclos de clock pelos quais os dados devem passar (medidos em Latência CAS ou CL nas planilhas de dados)
• A duração de cada ciclo de clock (medido em nanossegundos)

A combinação das duas variáveis fornece a equação de latência:

latência (ns) = tempo do ciclo de clock (ns) x número de ciclos de clock

Na história da tecnologia das memórias, conforme as velocidades aumentaram, os tempos dos ciclos de clock diminuíram, resultando em latências mais baixas conforme a tecnologia se desenvolveu plenamente, embora haja mais ciclos de clock a serem concluídos. Como as velocidades estão aumentando e as latências permanecem praticamente iguais, você pode atingir um nível superior de desempenho usando uma memória com mais nova, rápida e energeticamente eficiente.

Neste ponto da discussão, devemos observar que ao afirmarmos que “as latências permanecem praticamente iguais”, queremos dizer que, por exemplo, a partir da DDR3-1333 para DDR4-2666, as latências iniciaram em 13,5 ns e retornaram para 13,5ns. Embora haja diversas instâncias nesta variedade onde as latências aumentaram, os ganhos foram por frações de um nanossegundo. Neste mesmo período, as velocidades aumentaram acima de 1.300 MT/s, compensando quaisquer ganhos de latência residuais.

Qual é mais importante: a velocidade ou a latência?

Com base em uma análise profunda de engenharia e em testes extensivos no Laboratório de Desempenho da Crucial, a resposta a essa pergunta clássica é a velocidade. Em geral, conforme as velocidades aumentaram, as latências permaneceram aproximadamente iguais, significando que as velocidades mais rápidas proporcionam um desempenho de nível superior. Saiba mais sobre compatibilidade entre memória e outros componentes.

Otimize o sistema instalando o máximo de memória possível, usando a tecnologia de memória mais recente e escolhendo módulos com o máximo de velocidade com bom custo-benefício, e relevante para os aplicativos que você está usando.

 


©2018 Micron Technology, Inc. Todos os direitos reservados. As informações, os produtos e/ou as especificações estão sujeitos a alterações sem aviso prévio. A Crucial e a Micron Technology, Inc. não se responsabilizam por omissões ou erros tipográficos ou fotográficos. Micron, o logotipo da Micron, Crucial e o logotipo da Crucial são marcas comerciais ou registradas da Micron Technology, Inc. Todas as demais marcas comerciais e marcas de serviço pertencem a seus respectivos proprietários.