Desculpe. Sua pesquisa não encontrou nenhum número de peça Crucial ativo ou ID de configuração.

Terminologia dos SSDs: Um glossário

Você quer aprender mais sobre as unidades de estado sólido, mas alguns termos confundem a sua cabeça? Nós criamos um glossário com os termos mais comuns sobre SSDs. Conheça os benefícios das unidades de estado sólido.

Termos e definições das unidades de estado sólido

Alinhamento: refere-se ao alinhamento de partições de um dispositivo de armazenamento. O alinhamento determina a posição inicial de uma partição para garantir o melhor desempenho de leitura e gravação.

BIOS: sistema de entrada/saída básico. O BIOS é uma interface que mistura hardware e software.

Bit: dígito binário. O menor dado (um 1 ou um 0) que um computador consegue reconhecer.

Buffer: uma área de retenção de dados compartilhados por componentes. Os componentes podem trabalhar em velocidades diferentes ou ter prioridades diferentes. O buffer permite que um componente trabalhe de forma mais independente dos outros componentes.

Byte: oito bits de dados. O byte é a unidade fundamental do processamento do computador.

Cache: uma partição de memória muito veloz usada para armazenar dados temporariamente.

FAT: tabela de alocação de arquivos. Essa tabela mostra ao computador onde cada arquivo está e como acessá-los. 

Sistema de arquivos: um sistema que determina como os arquivos de dados são armazenados e acessados em um dispositivo de armazenamento.

Fator de forma: o tamanho e o formato físico de um componente de hardware. Um SSD pode ter um fator de forma de 2,5 ou 1,8 polegadas.

Formatação: um processo de preparação do disco de armazenamento para uso através da configuração com um sistema de arquivos. A formatação apaga todos os dados do disco.

Coleta de lixo: um processo que ajuda uma unidade de estado sólido a preservar o desempenho ideal liberando setores de memória cheios de dados que foram excluídos do arquivo. A coleta de lixo é parte do SSD e não depende do sistema operacional do computador.

Interface: o meio de comunicação entre dois sistemas independentes. Nos SSDs, a interface é um conector que liga a unidade de estado sólido à placa-mãe e à fonte de alimentação.

Latência: tempo levado para a memória do computador responder a um comando. Quanto menor for a latência, mais rápido é o dispositivo.

LBA: endereçamento de blocos lógicos (logical block addressing, em inglês). Um método para especificar locais em uma unidade de armazenamento de computador.

LPM: gerenciamento de energia de conexão (link power management, em inglês). Um recurso do SATA que reduz a energia enviada a uma unidade de estado sólido quando o computador é desligado.

MLC: célula multinível (multi-level cell, em inglês). Arquitetura de memória flash que tem dois bits de dados armazenados em cada célula da memória, permitindo quatro estados de operação. Isso gera mais capacidade de memória com custo menor do que as células de nível único.

mSATA: miniconexão serial de tecnologia avançada (mini serial advanced technology attachment, em inglês). Um padrão de interface para conectar unidades de estado sólido muito finas a uma placa-mãe de notebooks e ultrabooks.

Um SSD MSATA Crucial MX200 sendo inserido em um notebook

MTBF: tempo médio entre falhas (mean time between failures, em inglês). O tempo passado entre uma falha de dados e a próxima em uma unidade de armazenamento de computador.

NAND: AND negativo (negative AND, em inglês). A tecnologia que cria a memória flash e os discos de estado sólido.

NCQ: enfileiramento de comandos nativo (native command queuing, em inglês). Um recurso que permite aos discos SATA otimizar a ordem de execução dos comandos de leitura e gravação, melhorando o desempenho.

NTFS: sistema de arquivos da nova tecnologia. O sistema de arquivos padrão usado em discos de armazenamento para sistemas operacionais Microsoft® Windows®.

SO: sistema operacional (operating system, em inglês). O software que comanda o computador, permitindo que aplicativos e programas trabalhem juntos com os componentes de hardware.

PATA: conexão paralela de tecnologia avançada (parallel advanced technology attachment, em inglês). Um padrão de interface que conecta componentes de hardware a uma placa-mãe. A PATA é uma interface antiga que foi substituída pela SATA.

RAID: matriz redundante de discos independentes (redundant array of independent disks, em inglês). Um dispositivo de armazenamento de dados que combina dois ou mais discos de armazenamento para trabalhar como um só disco para melhorar o desempenho.

Leitura: refere-se a acessar um dado da memória ou de uma unidade de armazenamento.

S.M.A.R.T.: tecnologia de monitoramento e comunicação autônomos (self-monitoring, analysis and reporting technology). Um sistema de monitoramento para discos de armazenamento desenvolvido para detectar e gerar relatórios com vários indicadores de confiabilidade e para usar esses dados para prever e evitar falhas do sistema.

SATA: conexão serial de tecnologia avançada (serial advanced technology attachment, em inglês). Um tipo de interface que conecta uma unidade de armazenamento a uma placa-mãe.

SLC: célula de nível único (single-level cell, em inglês). É uma arquitetura de memória flash que tem um bit de dado armazenado em cada célula de memória, permitindo dois estados de operação.

Velocidade: existem dois tipos de velocidade: frequência e largura de banda. A frequência se refere a quantos ciclos os dados podem executar por segundo e é expressa em MHz por segundo. A largura de banda diz respeito a quantos dados conseguem passar por um sistema e é expressa em gigabytes (GB) por segundo.

SSD: unidade de estado sólido (solid state drive, em inglês). Unidade de estado sólido dedicadas ao armazenamento, baseadas em flash e desenvolvidas para atuar como discos rígidos tradicionais (HDDs) usando tecnologia NAND.

Um SSD Crucial sobre uma placa-mãe

Armazenamento: refere-se a um dispositivo em que se pode manter dados permanentemente.

Swap: quando o sistema de um computador pega memória emprestada com o disco de armazenamento porque a memória de acesso aleatório está cheia. O swap também é conhecido como memória virtual.

TRIM: um comando que permite ao sistema operacional informar uma unidade de estado sólido quais blocos de dados não estão mais em uso para poderem ser limpos e reutilizados. É o mesmo processo que a coleta de lixo, mas é iniciado pelo sistema operacional.

Memória virtual: também conhecida como swap, o computador pega memória emprestada com o disco de armazenamento porque a memória de acesso aleatório está cheia.

Nivelamento de desgaste: um recurso que faz com que todas as células NAND de um dispositivo de armazenamento flash sejam usadas igualmente para prolongar a vida útil do dispositivo. O acesso frequente a dados armazenados no mesmo local desgaste esse local específico. O nivelamento de desgaste dispersa os dados de forma mais equilibrada.

Gravação: refere-se a salvar um dado em uma unidade de armazenamento.


©2018 Micron Technology, Inc. Todos os direitos reservados. As informações, os produtos e/ou as especificações estão sujeitos a alterações sem aviso prévio. A Crucial e a Micron Technology, Inc. não se responsabilizam por omissões ou erros tipográficos ou fotográficos. Micron, o logotipo da Micron, Crucial e o logotipo da Crucial são marcas comerciais ou registradas da Micron Technology, Inc. Microsoft e Windows são marcas comerciais da Microsoft Corporation ou de suas subsidiárias nos Estados Unidos e/ou em outros países. Todas as demais marcas comerciais e marcas de serviço pertencem a seus respectivos proprietários.